Catauá

Queijo da mantiqueira
gallery/curado
gallery/blog do girão_210x200___
gallery/imagem2
gallery/imagem4

O Catauá

O Queijo da Mantiqueira

gallery/roça

O queijo artesanal da região da Mantiqueira nasceu no início do século XVIII, em fazendas desta região das Minas Gerais. Era difícil o escoamento da produção leiteira, e as famílias passaram então a produzir um queijo que, depois de curado, poderia ser mantido por um período maior de tempo e distribuído em centros consumidores mais distantes. 

Antigamente, o tempo de cura dos queijos variava em função da visita dos “queijeiros”, que passavam de tempos em tempos para levar a iguaria aos mercados do Rio de Janeiro, os transportando em canudos de taquara trançada forrados com folhas verdes de bananeira, equilibrados sobre a cangalha das mulas. 

Este antigo processo de produção não deixou registros e perdeu continuidade há duas gerações, com o surgimento da moderna indústria de laticínios, que passou a adquirir o leite das fazendas e industrializá-lo em larga escala.

O queijo artesanal da Mantiqueira sobreviveu em pequenas propriedades, geralmente situadas em áreas íngremes e pedregosas, de difícil acesso aos “caminhões de leite”, produzido pela família dos que não tinham qualificação profissional para ingressarem no mercado de trabalho urbano ou simplesmente se negavam a partir, a “sair da roça”.

Aliamos Tradição, Sustentabilidade e Preservação Ambiental, para que o QUEIJO CATAUÁ chegue à sua mesa como um produto totalmente ecológico, saudável e em sintonia com o meio ambiente. Utilizamos as mesmas técnicas de produção que nossos antepassados, protegemos as matas e nascentes de nossa propriedade e da região, nossas pastagens são nativas e sem nenhuma presença de agrotóxicos e nosso rebanho é tratado apenas com homeopatia e fitoterapia (*).

Produzido artesanalmente, o QUEIJO CATAUÁ resgata o sabor das antigas fazendas mineiras. Após sete gerações, preservamos as mesmas técnicas de nossos antepassados, aprimorando somente os aspectos sanitários e higiênicos:

O leite cru, de gado Jersey, é cremoso e rico em proteínas;
A fermentação do leite se dá pelo uso do “pingo” (fermento biológico);
A massa é espremida e o queijo é alisado manualmente;
A cura é lenta e em condições naturais, o que permite a formação de sua típica casca dourada.


Estas práticas permitem obter um queijo com sabor único, típico das encostas da serra da Mantiqueira.

 

(*) Quando há necessidade de utilização de qualquer antibiótico, o leite é descartado por pelo menos 07 dias.

gallery/alta resolução-76